ClimaInfo, 13 de julho 2018

ClimaInfo mudanças climáticas

ATINGIDOS POR BELO MONTE OCUPAM ESCRITÓRIO DO IBAMA EM ALTAMIRA

Um grupo de atingidos pela Usina de Belo Monte ocupou o escritório do Ibama em Altamira pedindo o início imediato da remoção e do reassentamento, ou a indenização das famílias. A Norte Energia, dona da usina, não cumpriu a condicionante do licenciamento ambiental que a obriga a dar residências às pessoas que foram despejadas durante a construção da barragem. A situação destas pessoas ficou ainda pior por conta da especulação imobiliária em Altamira e muitas se viram obrigadas a morar em palafitas insalubres e precárias. Em junho, foi acordado um cronograma para a realocação dessa gente com a participação da Prefeitura Municipal de Altamira, Norte Energia, Ibama, Casa Civil e moradores. A realocação deveria ter começado na semana passada, mas nada aconteceu. Das quase mil famílias que moram no alagadiço, a Norte Energia prometeu cuidar de quase 600 que moram em palafitas, enquanto as outras 400, segundo a empresa, moram em áreas onde terão acesso ao saneamento básico. Só que a Norte não faz, nem se pronuncia.

Continua valendo a pergunta: quanto custa fazer direito?

https://www.brasildefato.com.br/2018/07/10/familias-de-altamira-protestam-contra-especulacao-imobiliaria-trazida-por-belo-monte

 

RELATOR DO PL DO VENENO TEM UM CONFLITO TÓXICO DE INTERESSE

Luiz Nishimori, o relator do projeto de lei que afrouxa o controle de agrotóxicos, é dono de duas empresas que comercializa (adivinhem)… agrotóxicos. Segundo o site Congresso em Foco, “uma das empresas de Nishimori, a Mariagro Agricultura, chegou a vender um volume tão grande de agrotóxicos que bateu a meta de vendas estipulada pela Syngenta”. O indivíduo deputado entrou na justiça para receber o tal prêmio.  https://congressoemfoco.uol.com.br/legislativo/relator-do-projeto-dos-agrotoxicos-e-dono-de-empresas-do-setor

 

A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM DOS AUTOMÓVEIS

Um artigo na Ecomondo fala do desmonte e reciclagem de automóveis e porque esta atividade é importante para o país. Existe uma lei de 2014 que regulamenta a atividade e o aproveitamento de alguns dos componentes. Mas nem a lei, nem o artigo dão destaque à sucata. Boa parte do peso de um automóvel está no aço distribuído pelo motor, eixos, chassi e por aí vai. A indústria automobilística responde por cerca de 25% do consumo de aço no país. E uma parte pequena da sucata volta para as siderúrgicas para ser transformada em chapas e tubos outra vez. Se o país é o campeão mundial de reciclagem de alumínio, deve estar entre os últimos na reciclagem de aço. O processo de transformação do minério de ferro em aço é o maior emissor de gases de efeito estufa da indústria nacional. O processo que reaproveita sucata pode ser feito com eletricidade ou carvão vegetal, ou seja, quase sem emissões. Analistas dizem que maior dificuldade para que isso aconteça é que a sucata está espalhada pelo país e o custo de trazê-la para as siderúrgicas é alto demais. Seria bom se mais gente e recursos pudessem jogar uma luz na questão.
http://ecomondobrasil.com.br/valorizacao-da-reciclagem-automotiva-favorece-o-equilibrio-sustentavel

 

A IRLANDA É O PRIMEIRO PAÍS A DESINVESTIR DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

O parlamento irlandês aprovou a Lei do Desinvestimento em Combustíveis Fósseis, exigindo que o fundo soberano da Irlanda, o Irish Strategic Investment Fund, se desfaça de € 300 milhões em ações em empresas de carvão, petróleo, gás natural e turfa nos próximos 5 anos. A Irlanda é o primeiro país do mundo a parar de aplicar dinheiro público em ativos e atividades fósseis.

Enquanto isso, o Brasil só faz aumentar os subsídios ao petróleo e seus derivados.

https://www.ultimoinstante.com.br/ultimas-noticias/economia/setores/energia-irlanda-acaba-de-se-tornar-o-primeiro-pais-do-mundo-a-desinvestir-dos-combustiveis-fosseis/246409/

http://www.thejournal.ie/fossil-fuel-divestment-bill-4124211-Jul2018

https://www.theguardian.com/environment/2018/jul/12/ireland-becomes-worlds-first-country-to-divest-from-fossil-fuels

https://350.org/ireland-divests

https://www.sciencealert.com/ireland-is-set-to-become-the-first-country-to-completely-stop-funding-fossil-fuels

 

MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA PODE SER A CHAVE PARA UM ‘LUZ PARA TODOS’ GLOBAL

O sistema elétrico em quase todo o mundo foi pensado para interligar tudo e todos numa única rede. Mas é praticamente inviável conectar o 1,1 bilhão de pessoas mais pobres do mundo, espalhadas em áreas pouco densas e cada uma consumindo muito pouco. Existem programas de organismos multilaterais e filantrópicos colocando painéis fotovoltaicos em vários telhados e postes de vilarejos da África e do sul da Ásia, mas que só “funcionam” quando tem sol. Um artigo da Economist diz que, com a queda do preço das baterias, logo será possível acoplá-las a estes painéis. Mas montar uma pequena rede interconectando casas e oficinas ainda é caro. A revista entende que é possível que um salto de escala as torne uma alternativa mais viável do que espalhar linhas de transmissão e subestações. Isto pode acontecer em paralelo a programas de desenvolvimento rural e de microcrédito que apoiem iniciativas de aproveitamento desta eletricidade, como sistemas de irrigação, refrigeradores e iluminação e informática.

https://www.economist.com/leaders/2018/07/14/mini-grids-may-be-the-best-way-to-illuminate-the-bottom-billion

https://www.economist.com/finance-and-economics/2018/07/14/mini-grids-could-be-a-boon-to-poor-people-in-africa-and-asia

 

OS MAIORES ESTACIONAMENTOS DE BICICLETAS DO MUNDO

A bicicleta vai ocupando, literalmente, cada vez mais espaço nas grandes cidades. Hoje, o maior bicicletário do mundo fica em Tóquio e tem slots para 9.400 bicicletas. Haia previa abrir um com 8.500 lugares, mas o projeto foi adiado por dificuldades na construção. Até o final do ano, Utrecht, a 50 km ao sul de Amsterdã, expandirá um estacionamento existente e passará a oferecer 12.500 vagas. Em Amsterdã, ao lado da Estação Central, será construído um estacionamento para 4.000 bicicletas. Até 2030, os holandeses preveem a necessidade de 140.000 vagas próximas às estações de trem.

https://www.economist.com/europe/2018/07/14/the-dutch-underground-bicycle-park-arms-race

 

REINO UNIDO PODE TER UMA MATRIZ ENERGÉTICA DE BAIXA EMISSÃO ATÉ 2050

Saiu a primeira Avaliação Nacional de Infraestrutura no Reino Unido dizendo que é possível ter uma matriz energética de baixo carbono custando o mesmo que a matriz atual. E isso inclui eletricidade, edificações e transporte. A Avaliação indica que essa é uma oportunidade de ouro e que o governo precisa agir agora para aproveitá-la. Será preciso priorizar eólicas e fotovoltaicas e triplicar o investimento em eficiência. Nesse cenário futuro, a eletricidade é fortemente renovável e o transporte e edificações passam a ser fortemente eletrificados. O governo britânico também lançou “O Caminho para o Zero”, focado no transporte e na indústria. Críticos apontam que o trabalho deveria pensar no “quase zero” e que faltou apontar metas intermediárias ao longo do caminho. Também acham difícil que, seguindo o plano, seja realmente possível zerar as emissões do transporte rodoviário. Uma das grandes interrogações não respondidas pelo “Caminho” é o comportamento das montadoras e se estas embarcarão no caminho elétrico na velocidade e na intensidade que o trabalho indica.

https://www.carbonbrief.org/in-depth-uk-can-go-low-carbon-at-no-extra-cost-say-infrastructure-advisors

https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/723449/transport-energy-model.pdf

https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/724391/road-to-zero.pdf

https://eciu.net/blog/2018/the-pot-holed-road-to-zero

https://www.businessgreen.com/bg/news-analysis/3035664/short-of-our-expectations-ccc-warns-government-new-road-to-zero-strategy-puts-uk-carbon-targets-at-risk


ALEMANHA: RENOVÁVEIS GERAM MAIS ELETRICIDADE DO QUE O CARVÃO

No primeiro semestre deste ano, na Alemanha, as fontes renováveis eólica, solar, hidrelétrica e biogás supriram 36% da demanda, enquanto as térmicas a carvão supriram 35%. É a primeira vez que o carvão cai de posição por um período longo de tempo, desde o século 19, quando começou a revolução industrial. Mesmo assim, tomando as fontes separadamente, o carvão segue o líder.

https://www.euractiv.com/section/energy/news/german-coal-trounced-by-renewables-for-first-time

 

SUÉCIA DEVE CUMPRIR META PARA EÓLICAS 12 ANOS ANTES DO PREVISTO

Até o final deste ano, a Suécia terá 3.681 plantas eólicas em funcionamento, com 7,5 GW de capacidade e gerando mais de 18 TWh por ano. Com isto, os suecos devem atingir a meta que definiram para 2030 com antecedência de doze anos. Uma vez alcançada a meta, diz a regulamentação sueca, as próximas plantas deixarão de ser subsidiadas.
https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-07-04/sweden-to-reach-renewables-target-12-years-early-on-wind-surge

 

BIOGÁS DE GRANJAS E DO TRATAMENTO DE ESGOTO NOS EUA

A Duke Energy, uma das maiores corporações de energia dos EUA, começou a gerar eletricidade usando o biogás produzido a partir dos dejetos de 62 mil suínos no estado da Carolina do Norte. A National Grid está usando metano que sai de uma planta de tratamento de esgoto da rede de Nova York. Existem, hoje, 62 plantas gerando eletricidade a partir do metano de resíduos da agropecuária, esgoto, aterros e lixo orgânico. Até o final do ano, outras 26 começarão a operar.
https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-07-11/want-to-curb-fossil-fuels-duke-energy-is-betting-on-pig-power

 

Para ver

#ENTRENOCLIMA 1 – O QUE O AQUECIMENTO GLOBAL TEM A VER COM VOCÊ?

O Imaflora está lançando a série #EntreNoClima apresentando informações sobre mudanças climáticas e emissões de gases de efeito estufa (GEE). Os lançamentos acontecem às quartas-feiras, em cinco canais: YouTube, Facebook, Instagram e LinkedIn, além do website.
A intenção é despertar a atenção da sociedade para assuntos ligados à sustentabilidade e às mudanças climáticas, que sejam capazes de mitigar o efeito das emissões de GEE. Um dos principais desafios é trazer a discussão de forma palatável às várias audiências.
Na primeira pílula, a coordenadora de clima da ONG de liderança jovem Engajamundo, Karina Penha, explica de forma rápida e objetiva como as mudanças climáticas afetam o nosso futuro.

https://imaflora.blogspot.com/2018/07/entrenoclima-imaflora-convida-usuarios.html

https://www.youtube.com/watch?v=YY5h1YqrwLU

 

Para participar

BONS NEGÓCIOS PELO CLIMA

A Climate Ventures e a ClimateLaunchpad estão buscando ideias e negócios inovadores que promovam a conservação florestal e o uso econômico dos recursos naturais do país.

Junto com a 1ª Chamada Bons Negócios pelo Clima será realizada a etapa brasileira da ClimateLaunchpad 2018, a maior competição mundial de ideias de negócios verdes, que acontece na Escócia.

Entre os temas buscados estão soluções, independentemente da fase de desenvolvimento do negócio, voltadas para: gestão da água; gestão de resíduos; agropecuária; energia; logística; uso do solo; e florestas.
http://climateventures.co

https://pipe.social/startup/partners/a924e1d8b29c88122799bba775232ab3

 

Para Cursar

CAPACITAÇÃO ONLINE EM AGRICULTURA DE BAIXO CARBONO

A Embrapa, em parceria com o Ministério da Agricultura, oferece 500 vagas gratuitas. O curso terá início no dia seis de agosto e as inscrições devem ser feitas até o próximo dia 13 de julho.
A carga horária total é de 120 horas e o público-alvo é composto por técnicos, gestores, consultores, estudantes, produtores e demais profissionais

Atividades de 06 de agosto a 05 de outubro de 2018.
Conteúdo:
1) Mudanças climáticas e a agricultura de baixa emissão de carbono;
2) Manejo do solo com foco em sistemas integrados de produção;
3) Sistema de plantio direto;
4) Recuperação de pastagens degradadas;
5) Integração Lavoura-Pecuária-Floresta; e
6) Gestão e avaliação de sistemas ILPF.
Inscrições prorrogadas até hoje, 13 de julho de 2018.
Mais informações no e-mail e inscrições no link google:

abcweb@embrapa.br

https://goo.gl/forms/RFsxxryygVLZWLyF2

 

Para Cursar

CURSO ONLINE INTRODUTÓRIO SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

O curso oferecido pela UN CC:e-Learn apresenta “tudo o que você precisa saber” sobre os aspectos básicos da mudança climática, desde a ciência até a governança. O curso contém 6 módulos, cada um com aproximadamente 2 horas. Certificados são oferecidos pela UNITAR com a resposta a questionários propostos após cada módulo.

https://unccelearn.org/course/index.php?lang=pt_br

 

Siga o ClimaInfo nas redes sociais: www.facebook.com/climainfo e www.twitter.com/climainfonews