Plano do governo Bolsonaro prevê mineração em Terras Indígenas

mineração terras indígenas

O governo formalizou na última 2ª feira (28/9) o programa de mineração e desenvolvimento que pretende ampliar a área explorada por essa atividade.  A “cereja do bolo” é a legalização da atividade mineradora em TIs – possibilidade hoje proibida pela legislação, mas apresentada no começo do ano no Projeto de Lei 191. O Globo destacou a fala do secretário de geologia do ministério de minas e energia, Alexandre Vidigal, que defendeu a mineração em TIs como “um direito constitucional”. O propósito de facilitar a operação de mineradoras seria atrair novos investimentos para o setor no Brasil, com alegado potencial de investimento de até US$ 37 bilhões de dólares nos próximos quatro anos.

Correio Braziliense, Poder360 e Reuters também repercutiram os planos do governo para mineração.

Em tempo: Enquanto isso, na Colômbia, o relator especial da ONU para Direitos Humanos e meio ambiente, David Boyd, defendeu a suspensão  das operações da enorme mina de carvão El Cerrejón, uma das maiores do mundo, destacando que seu funcionamento ameaça comunidades indígenas que vivem em reservas do entorno, com intensificação da poluição do ar e da contaminação da água. No contexto da pandemia, esses riscos acentuam consideravelmente a vulnerabilidade desses indígenas à COVID-19. Vale lembrar que parte desse carvão vem para cá, para a geração elétrica em usinas no Norte e no Nordeste.

 

ClimaInfo, 30 de setembro 2020.

Se você gostou dessa nota, clique aqui para receber em seu e-mail o boletim diário completo do ClimaInfo.

x (x)
x (x)
x (x)