Clima extremo: tempestades matam centenas no Afeganistão e na Indonésia

Clima extremo tempestades matam Afeganistão Indonésia
AP Photo

Enchentes vêm matando dezenas de pessoas no Afeganistão desde abril; na Indonésia, temporais provocaram inundações repentinas e um fluxo de lava fria de vulcão ativo.

O clima extremo que se abateu sobre o Rio Grande do Sul também vem causando estragos em outras partes do mundo. Dois países do continente asiático, Afeganistão e Indonésia, sofreram com fortes chuvas no fim de semana. Até a tarde de 2ª feira (13/5), autoridades das duas nações contabilizavam quase 350 mortos.

No nordeste afegão, as inundações mataram pelo menos 315 pessoas e feriram mais de 1.600, informou o Ministério de Repatriação do país no domingo (12/5), ao atualizar a cifra de vítimas das fortes chuvas da sexta-feira. O novo balanço dobrou o número de mortos confirmados pelas autoridades na véspera, informa a Folha.

Segundo o ministério, milhares de casas foram danificadas; o gado foi aniquilado. Grupos de ajuda humanitária alertaram para os danos nas instalações de saúde e nas infraestruturas vitais, como o abastecimento de água, com as ruas cobertas de lama, detalha a Reuters.

A maioria das vítimas foi registrada na província de Baghlan, onde fortes chuvas destruíram cerca de 3.000 casas, inundaram terras agrícolas, fecharam escolas e danificaram centros de saúde, segundo a UN News. As províncias de Takhar e Badakhshan também foram afetadas, com relatos iniciais de pelo menos 300 casas danificadas.

A CNN relatou a situação de três crianças encontradas sentadas no telhado de uma mesquita em Baghlan com os olhos piscando para afastar a lama que cobria seus corpos. Ao lado deles, um socorrista baixa seu irmão mais novo, Arian, de 2 anos, até o telhado, com um lençol amarrado na cintura que foi usado para puxá-lo das águas furiosas abaixo da casa.

O Afeganistão tem sido atingido por chuvas fortes nas últimas semanas e enchentes vêm tirando a vida de dezenas de pessoas desde meados de abril. As inundações súbitas acontecem quando a chuva é tão forte que a velocidade de drenagem normal do solo não consegue absorver a água. Especialistas disseram à BBC que o inverno relativamente seco no país contribuiu para diminuir essa capacidade de absorção.

Já na Indonésia, pelo menos 37 pessoas morreram, 17 estavam desaparecidas e mais de uma dúzia ficaram feridas na ilha de Sumatra depois que fortes chuvas provocaram inundações repentinas e um fluxo de lava fria de um vulcão ativo, segundo a CNN. A lava fria, também conhecida como “lahar”, é uma mistura de detritos vulcânicos, como cinzas, areia e seixos, que desce pelas encostas de um vulcão durante o tempo chuvoso.

Horas de chuva na noite de sábado (11/5) levaram rochas vulcânicas e cinzas pelo Monte Marapi, um vulcão ativo em Sumatra, até casas em cidades próximas, detalha o New York Times. Quatro áreas no oeste da ilha sofreram graves danos, com quase 200 casas inundadas, segundo a agência indonésia de gestão de desastres. Numa área, Agam, 159 pessoas foram evacuadas, informou a agência.

A devastação provocada por tempestades no Afeganistão e na Indonésia também foi destaque na Al Jazeera, npr, France24, AP, CNN, Guardian, Washington Post, New York Times, Fox Weather, Al Jazeera, BBC, France24, Reuters e NBC.

 

 

__________

ClimaInfo, 14 de maio de 2024.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.