Secretário-geral da ONU defende proibição de propaganda de combustíveis fósseis

António Guterrez
Reprodução vídeo ONU YT

Para António Guterres, as empresas de combustíveis fósseis são “padrinhos do caos climático” e não podem mais fazer publicidade às custas da destruição do clima.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, fez uma sugestão interessante: barrar a publicidade de empresas de combustíveis fósseis, como foi feito por vários governos com outras indústrias nocivas, como as do tabaco e das bebidas alcoólicas. Para ele, essas empresas são os “padrinhos do caos climático” e não deveriam mais se beneficiar com a divulgação publicitária de seus produtos. 

“Muitos governos restringem ou proíbem a publicidade de produtos que prejudicam a saúde humana, como o tabaco. Alguns estão fazendo o mesmo agora com os combustíveis fósseis. Peço a todos os países que proíbam a publicidade dessas empresas, e apelo aos meios de comunicação social e às empresas tecnológicas que parem de aceitar publicidade de combustíveis fósseis”, disse Guterres em discurso em Nova York na última 4ª feira (5/6).

Guterres também destacou os dados recentes da Organização Meteorológica Mundial (OMM) que colocaram maio de 2024 como o 12º mês consecutivo com recordes históricos de temperatura média global. Segundo a OMM, há 80% de chance de que pelo menos um dos próximos cinco anos seja o primeiro ano em que a temperatura média global temporariamente exceda 1,5oC acima dos níveis pré-industriais.

Mesmo com esse quadro desafiador, Guterres defendeu que a meta de se limitar o aquecimento global em 1,5oC neste século ainda é “praticamente possível”, mas que é necessário um esforço muito maior por parte dos países para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, para que se aumente o financiamento climático aos países mais pobres, e para que a indústria fóssil deixe de receber benefícios e facilidades governamentais.

“O custo de todo esse caos está atingindo as pessoas onde dói: desde as cadeias de abastecimento interrompidas, aumento de preços, aumento da insegurança alimentar e casas e empresas não seguráveis. Essa conta continuará crescendo. (…) Enquanto isso, os padrinhos do caos climático – a indústria de combustíveis fósseis – obtêm lucros recordes e festejam trilhões em subsídios financiados pelos contribuintes”, afirmou o chefe da ONU.

“O secretário-geral reconheceu uma verdade simples: a indústria dos combustíveis fósseis é a principal culpada pela escalada da crise climática”, observou David Tong, gerente de campanha da Oil Change International. “Apesar da necessidade urgente de se reduzir as emissões, a indústria continua a obter enormes lucros enquanto o nosso planeta arde”. 

A fala de Guterres foi destacada em diversos veículos, com matérias em AFP, BBC, Bloomberg, Climate Home, Guardian, Independent, Reuters e Valor, entre outros.

 

ClimaInfo, 7 de junho de 2024.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.