Qual é a boa do clima?

Já viu qual a Boa do Clima dessa semana? Semanalmente, o ClimaInfo seleciona notícias socioambientais e climáticas positivas para você se inspirar e acreditar que ainda dá tempo de atingir a mudança. Um futuro mais justo e sustentável é possível. Espia só:

Proteção para a TI Yanomami: crédito de R$ 1,62 bilhões vai à promulgação no Senado. 

Os recursos da medida provisória, que tem força de lei, são para atividades emergenciais de assistência sanitária aos Yanomamis e demais povos da região em estado de emergência de saúde, como a retirada de garimpos ilegais da área indígena. O anexo da MP detalha os programas e ações em cada área beneficiada.

O governo justificou os créditos com base na conservação ambiental e no desenvolvimento socioeconômico sustentável da região. Foram contemplados os ministérios da Defesa; da Justiça; do Meio Ambiente; do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar; do Desenvolvimento e Assistência Social; da Pesca; dos Direitos Humanos; e dos Povos Indígenas.

A maior parte dos recursos, R$ 309,8 milhões, foi destinada ao Ministério da Defesa, para uso das Forças Armadas e do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) nas ações emergenciais.

Amazônia deve receber R$ 500 milhões para desenvolvimento científico: recursos vão subsidiar apoio à infraestrutura e pesquisa na região.

O anúncio foi feito pela ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, em conferência na 76ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC), em Belém.

Os recursos são do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (FNDCT), que entrará com R$ 160 milhões, do Programa ProAmazônia, com R$ 150 milhões, e do Programa de Ciência, Tecnologia e Inovação para Segurança Alimentar e Erradicação da Fome, com R$ 184,2 milhões.

“São verbas voltadas para recuperação, atualização e criação de laboratórios, acervos científicos, históricos e culturais e coleções biológicas”, explicou Luciana Santos. Segundo a ministra a, a maior parte dos recursos, R$ 110 milhões, será aplicada em projetos dessas linhas, “com prioridade para propostas de fora das capitais dos estados amazônicos”.

Poder popular: audiência Pública irregular mobiliza militância contra construção de termoelétrica no Vale do Paraíba, interior de São Paulo.

O Vale do Paraíba vem vivendo uma intensa batalha contra a construção da maior termoelétrica movida a metano da América Latina, a ser instalada na cidade de Caçapava, e que afetará diretamente todas as cidades da região. 

A empresa São Paulo Geração de Energia S/A tentou realizar duas audiências públicas, desobedecendo a decisão judicial expedida pela 3ª Vara Federal de São José dos Campos do Ministério Público Federal (MPF), que impede a realização das audiências.

Especialistas e pesquisadores da região metropolitana do Vale do Paraíba analisaram o Estudo de Impacto Ambiental apresentado pela empresa Natural Energia e apontaram equívocos, erros técnicos e a ausência de informações que impediriam o andamento do licenciamento ambiental do projeto no IBAMA. O IBAMA, então, determinou que a empresa refaça o EIA-RIMA para que o licenciamento ambiental do projeto volte a ter andamento.

Segundo Altamir Barros, da direção estadual do MST no Vale do Paraíba hoje vivemos um momento da história que não se pode vacilar, pois os impactos causados ao meio ambiente já são irreversíveis. “Mas como movimento social e classe trabalhadora, é fundamental nos empenharmos na luta contra a construção dessa termoelétrica no Vale do Paraíba”.