Clima derruba a safra de soja e a balança comercial

“Foi um ano diferente, com setembro bastante chuvoso, quando fizemos o plantio. Mas, em novembro, só tivemos chuvas isoladas e a soja já ficou manchada, castigada pela seca.” A reclamação do produtor entrevistado pelo Estadão se repete em várias partes do país e levou a Aprosoja a estimar uma quebra na safra 2018/19 da ordem de 16 milhões de sacas numa colheita esperada inicialmente de 117,2 milhões de sacas, por conta de problemas climáticos em 12 estados. As perdas no Paraná são mais severas, da ordem de 30%; na Bahia e no Piauí as perdas são da ordem de 20%; e, em Goiás, de 17%. As estimativas mais otimistas indicam perdas de R$ 4,3 bilhões, enquanto as mais pessimistas chegam a R$ 7 bilhões. Por conta da menor colheita, a Associação Nacional de Exportadores de Cereais (Anec) prevê uma queda de 12% nas exportações de soja em 2019. O país deve exportar 73 milhões de toneladas, enquanto exportou 82,8 milhões de toneladas em 2018.

 

Boletim ClimaInfo, 19 de fevereiro de 2019.