Redes sociais: Pinterest promete remover conteúdos de desinformação climática

Pinterest fake news climática
Dado Ruvić/Reuters

A rede social Pinterest anunciou uma nova política institucional para coibir a circulação e a disseminação de informações e conteúdos que promovem o negacionismo da crise climática. De acordo com a empresa, qualquer conteúdo que distorça ou negue a ciência do clima será removido da plataforma, tanto aqueles postados como anúncios como os posts “orgânicos” normais. Assim, o Pinterest se diferencia de outras redes sociais, como Facebook e Twitter, que seguem tropeçando quando o assunto é fake news e negacionismo climático.

“Nossa nova política torna o Pinterest a única grande plataforma digital a ter diretrizes claramente definidas contra informações falsas ou enganosas sobre mudanças climáticas, inclusive teorias da conspiração, em todos os conteúdos e anúncios”, afirmou a empresa. Além de eliminar conteúdos negacionistas, a plataforma também modificou seus mecanismos de busca, de maneira a direcionar o usuário a fontes confiáveis de informação.

O anúncio foi bem recebido por ativistas climáticos, que há anos lutam contra gigantes como Facebook e Google para coibir a disseminação de notícias e conteúdos falsos sobre clima nas redes sociais. “A desinformação climática em plataformas digitais é uma séria ameaça ao apoio necessário do público para resolver a crise climática. O Pinterest demonstrou sua importante liderança ao criar um padrão comunitário que inclui uma definição de desinformação climática”, afirmou Michael Khoo, copresidente de desinformação climática da Friends of the Earth.

Um Só Planeta e VEJA destacaram a notícia, que também teve repercussão na imprensa internacional, com manchetes nos Guardian, NY Times, Reuters e Wall Street Journal.

Em tempo: Principal plataforma de compartilhamento de vídeos e streaming do mundo, o YouTube é terreno fértil para o negacionismo climático, inclusive no Brasil. A Agência Pública destacou como canais ruralistas e bolsonaristas estão monetizando vídeos que rejeitam a ciência do clima e promovem teorias conspiratórias e mentiras deslavadas sobre o assunto. Até mesmo canais de veículos oficiais, como a TV Senado e a TV Brasil, estão colaborando na disseminação dessas falsidades.

 

ClimaInfo, 7 de abril de 2022.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.